Resenha - Labirinto no Escuro



Venha se perder pelos labirintos confusos da mente de Nicolas.


https://2.bp.blogspot.com/-OvdPoi2mZxI/WIpToJDACdI/AAAAAAAACWk/Ol0S24lHQHshF09eQNwargQ2pWQhSD4xwCLcB/s1600/capa_Labirinto_no_escuro_1031.jpg
Labirinto no Escuro

Luís Dill




Positivo
122
Física



Sinopse

Nicolas, o protagonista deste romance, meteu-se numa grande enrascada. Ao acordar, ele não sabe onde está nem por que a lembrança dos acontecimentos recentes virou fumaça. Desorientado e angustiado, tudo o que sabe é que está preso a uma cama, num quarto asséptico, inteiro branco.


Resumo

Conhecemos a história pelos olhos de um narrador observador e vemos Nicolas acordar tentando entender o por que de sua memória não segue a lógica de o mostrar como chegou ao quarto mais alvo que a neve onde está. Ao perceber que está literalmente preso à cama, o coração logo acelera e o desespero toma conta do seu ser. A voz demora, mas finalmente chama por ajuda. Nicolas "conhece" Doutor Pontes, um senhor de traços remotamente orientais e jaleco branco. Aos poucos, o Doutor vai fazendo Nicolas se esforçar pra lembrar quem é, e o mais importante: por que Nicolas está ali? Ou melhor, onde é ali?

Nem pensa estar imerso em sonho. Sente o sangue fluir, o corpo todo em funcionamento. Sonhos não são assim, conclui.

Aos poucos, Nicolas, sem esforço algum, descobre que sabe mais sobre a República do Malauí, Albert Einstein e termos de medicina do que o seu próprio passado. Ele se sente um ratinho de laboratório passando por algum experimento louco, e talvez até seja.

Intrigado com o número 27 estampado em sua camisa, o garoto conhece Floyd, Verônica e Amaury. Três pessoas que estão naquele lugar por motivos completamente diferentes. Quando as coisas começam a fazer o mínimo de sentido, as paredes dos labirintos mentais de Nicolas mudam, deixando ele e nós cada vez mais confusos.





Opinião

Eu tenho que confessar que demorei horrores pra ler esse livro, porque a sinopse e muito menos a capa não me atraiam nem um pouco. Mas quando comecei os primeiros capítulos, a curiosidade pelo desenrolar da história me segurou. A gente vai lendo, achando que tá começando a entender as coisas, e acaba sendo enganado pela nossa memória. Eu já tinha lido apenas um livro do Luís Dill, acho que ele escreve super bem e que ele consegue prender bastante o leitor na história. Ele não faz muito o "meu tipo" (a louca dos romances clichês passando por aqui ;p),  mas eu gostei bastante dele. E cara, o final é tipo, mega surpreendente. Acho que é o tipo de livro que valeu a pena sair da zona de conforto.


***

Quem aí ama suspense? Que tal adicionar esse livro à sua lista, hein?


[[camila]]

Comentários

Clique aqui se os comentários não aparecerem.