Resenha - O Mágico de Oz



Venha conhecer as altas aventuras da menininha Dorothy.


https://3.bp.blogspot.com/-hUTnPNOkJ-s/WJTVT0tzOFI/AAAAAAAACYE/4qL_zW04AU4rQkCT5ItFid_MJpx4L7dHwCLcB/s1600/Capa-O-Magico-de-oz.jpg
O Mágico de Oz
The Wonderful Wizard Of Oz
L. Frank Baum




Leya
400
192



Sinopse

— Quem é você? — perguntou o Espantalho quando se esticou e bocejou. — E para onde está indo?
— Meu nome é Dorothy — disse a menina. — E estou indo à Cidades das Esmeraldas, para pedir ao Mágico de Oz que me mande de volta para casa.
— Onde é Cidade das Esmeraldas? ele perguntou. — E quem é Oz?
— Nossa, você não sabe? — ela perguntou surpresa.
— Não sei, não. Não sei de nada. Sabe, sou recheado de palha, então não tenho cérebro — ele respondeu com tristeza.
— Ah, sinto muito por você.
— Você acha que, se eu for para a Cidade das Esmeraldas com você, esse tal de Oz poderia me dar um cérebro?
— Não tenho certeza — ela respondeu. — Mas pode vir comigo, se quiser. Se Oz não te der um cérebro, você não vai ficar pior do que está agora. Eles caminharam de volta pela estrada. Dorothy o ajudou a passar pela cerca e seguiram pelos tijolos amarelos em direção à Cidade das Esmeraldas.


Resumo

Dorothy é uma linda garotinha que vive com seu tio Henry, sua tia Em e seu cachorrinho Totó, em uma pequena casa em Kansas. A casa deles é simples e fica localizada em um lugar no meio do nada, com a vegetação baixa e sem vida, sem a presença de árvore alguma e sem nenhum sinal de vizinhos. Apenas a pequena casa deles em meio todo aquele lugar. O que Dodothy e sua família menos queria, era que chegasse uma tempestade, já que sua casa não proporciona segurança e nem sequer tem um sótão para protegê-los, mas se levar em conta o cinza do céu isso não demoraria acontecer. E como o previsto, aconteceu.

As fortes ventanias fizeram com que Dorothy passasse a ter a sensação de que sua casa estava girando e levantando do chão, como se tivesse em um ciclone. Depois de muito tempo a "viagem" chega ao fim, e Dorothy chega em um lugar desconhecido, porém maravilhoso, muito, mas muito diferente de onde ela mora. E ela percebe que está apenas na companhia de Totó, seus tios sumiram. Esse novo lugar onde a garota foi parar é cheio de pessoas hospitaleiras, entretanto bem esquisitas, com grandes chapéus, roupas extravagantes e bem menores do que pessoas adultas, e eram chamados de Munchkins. Nesse lugar, Dorothy encontra alguns Munchkins e a Bruxa do Norte, que dizem que a menina só poderia conseguir voltar para o seu lugar com a ajuda do Mágico de Oz. A partir daí, Dorothy, junto com o seu cãozinho, começam a incansável caminhada em busca do Grande e Terrível Oz rumo à Cidade das Esmeraldas. No seu longo caminho, Dorothy encontra com um Espantalho que sonha em ter um cérebro para pensar tão bem quanto os homens, um Homem de Lata em busca de um coração para amar e um Leão Covarde que sonha ser corajoso. Os quatro novos amigos, juntamente com Totó, partem numa longa e perigosa caminhada à procura de Oz.


Opinião

Devo admitir que preciso começar dizendo que jamais imaginaria que esse livro infanto-juvenil, que é considerado um clássico, poderia me agradar. Dito isso, tomo o direito de mudar as regras de uma resenha que diz que as indicações devem vir no fim da mesma, e fazer diferente. Vou começar indicando o livro para todos. Sim. De maneira geral, sem público alvo específico. Porém, se você não gosta de livro bastante infantil, é melhor nem tentar — mas aviso que eu tentei e gostei.


Experiência é a única coisa que traz conhecimento, e quanto mais ficar na terra, mais experiência você vai ter.


O Mágico de Oz é de autoria de L. Frank Baum, e essa edição foi publicada pela Editora Leya. O livro não é muito grande e possui vinte e quatro capítulos, uns mais longos e outros mais reduzidos. Cada capítulo possui um título que resume em poucas palavras do que vai se tratar o capítulo, juntamente com a numeração do mesmo.





O Mágico de Oz é pura fantasia, pois pela escrita do livro pode-se perceber que o seu alvo são as crianças — ou leitores como eu, que estão tentando fugir de uma ressaca literária de livros de romances —. Isso fica claro pela forma como o autor descreve os fatos ou como os problemas são resolvidos, como por exemplo, onde um simples balde de água pode matar uma bruxa. Para um leitor que está acostumado com leituras mais complexas essas coisas podem ser inaceitáveis, mas para uma criança isso pode fazer todo o sentido. Até mesmo as palavras usadas revelam o foco público alvo.


— Você tem muita coragem, tenho certeza — disse Oz. — Só precisa ter mais confiança em si mesmo. Não há ser vivo que não tenha medo quando enfrenta o perigo. A verdadeira coragem é enfrentar o perigo quando se tem medo, e esse tipo de coragem você tem de sobra.


O livro possui algumas frases simples mas que nos fazem refletir, até mesmo quando o Espantalho diz que quer ter um cérebro para pensar como os homens. Em relação a isso, prefiro nem falar o que acho sobre o assunto. Não tenho nada pra criticar sobre o livro, pois como já falei acredito que ele foi feito para leitores mirins então não posso criticar por ser uma leitura leve, que resolve as coisas da maneira mais boba possível e possui acontecimentos previsíveis. Apenas uma coisa, quase lá no fim do livro, me deixou um pouco espantada, já que eu não conhecia a história.

De maneira geral posso dizer que gostei do livro, e indico-o em todas as situações. Não devo falar mais nada por causa dos malditos spoilers, mas pra quem não conhece a história — assim como eu não conhecia e não fazia a mínima do que acontecia — acredito que seria bom tirar suas próprias conclusões.


***


E você, já conhece o terrível e temível Oz? Diga aí nos comentários o que você sabe sobre essa encantada história.


[[emi]]

Comentários

Clique aqui se os comentários não aparecerem.