Não Condiz com o Livro - A Culpa é das Estrelas



Eu ia começar aqui dizendo aquela frase diferentona: "só eu que assisti quando passou na Globo?". Mas como sei que não, vou só dizer que a vontade de fazer esse post veio depois disso aí.


Meio mundo de gente só assistiu o filme depois de ler o livro, o que acaba sempre trazendo uma expectativa muito grande, e por isso a chance de se decepcionar com a adaptação cinematográfica é enorme. Quando a gente tá lendo, acaba imaginando a atitude de um personagem de um certo jeito ou escolhendo uma cena favorita que a gente quer, por tudo no mundo, que esteja no filme e no fim nada disso acontece. E quando colocam algo que jamais esteve no livro, uma atitude completamente contrária à que o personagem toma? Não é meio revoltante?

Mas ó...
Esse post não é pra deixar você revoltado não, viu? :)

Resolvi escrever ele pra compartilhar com vocês coisas que têm no livro, mas que são retratadas de forma diferente no filme. Escolhi escrever sobre A Culpa é das Estrelas porque tenho certeza que muitos viram quando passou na Globo (mesmo que tenham cortado algumas partes) e, por isso, o filme ainda tá fresquinho na mente. Vou fazer o máximo pra não colocar tanto spoiler e nem deixar esse post grande demais, prometo. Mas aí vai o aviso:

[[spoiler]]

Aviso dado, vamos ao post!


https://3.bp.blogspot.com/-MvKTjgQWMSM/V_U5CFc6fuI/AAAAAAAABnM/GXOxfQijZ4oiIzNrdjlJyEMU47MXz63WACLcB/s320/acede.jpg
A Culpa é das Estrelas
The Fault in Our Stars
John Green




Intrínseca
222
Física



Sinopse

Hazel é uma paciente terminal. Ainda que, por um milagre da medicina, seu tumor tenha encolhido bastante — o que lhe dá a promessa de viver mais alguns anos —, o último capítulo de sua história foi escrito no momento do diagnóstico. Mas em todo bom enredo há uma reviravolta, e a de Hazel se chama Augustus Waters, um garoto bonito que certo dia aparece no Grupo de Apoio a Crianças com Câncer. Juntos, os dois vão preencher o pequeno infinito das páginas em branco de suas vidas.


A "granada"

"Gus, eu sou uma granada. Um dia eu vou explodir e vou destruir tudo ao meu redor. Eu não sei, acho que é minha responsabilidade minimizar o número de vítimas."

No filme, logo depois de Gus ter dito pra Hazel que manter distância não diminuiria os sentimentos dele e que seria um privilégio ter o coração partido por ela, ela tenta explicar que não pode continuar com tudo aquilo porque não quer magoar ele, ilustrando sua existência com uma granada. Daí ela diz que é por isso que ela não tem um hamster, então começa a tocar Tee Shirt, da Birdy.

Mas no livro...
No livro, ela diz que é uma granada pra mãe dela, e não pro Gus, enquanto sentia uma dor de cabeça chata logo depois de ter passado bastante tempo vendo as postagens de condolências no facebook da Caroline Mathers (que nem é mencionada no filme, embora sua existência seja completamente indispensável no livro).


Foi mal

"Tô apaixonado por você. Você ouviu. Eu tô apaixonado. E eu sei que o amor é só um grito no vazio e que o esquecimento é inevitável. Estamos condenados ao fim. E aí, um dia, tudo o que fizemos voltará ao pó. E eu sei que o sol vai engolir a única Terra que podemos chamar de nossa. E eu tô apaixonado por você. Foi mal."

Enquanto jantavam no Oranjee, depois de cada um dizer no que acredita que aconteça depois da morte, o Augustus diz essa frase linda, com esse sorriso meigo na cara. Nossa reação seria ficar sem palavras como a Hazel, sim ou claro?

Já no livro...
No livro ele diz isso enquanto eles estão no avião, depois de eles terem assistido 300 e Hazel ter recitado um poema à pedido dele.


A vingança de Isaac

"Viemos aqui em busca de vingança. A gente pode não parecer grande coisa, mas somando os três temos cinco pernas, quatro olhos e dois pares e meio de pulmões funcionando. Também temos duas dúzias de ovos."

Depois de saber que Monica nunca mais falou com Isaac depois de ele ter ficado totalmente cego, Augustus tem a incrível ideia de jogar ovos no carro dela. Com a ajuda de Hazel, os dois vão até a casa da Monica executar seu plano de vingança.

Enquanto isso no livro...
Diferente do filme, no livro Hazel não sai do carro, e Gus pede pra ela tirar uma foto pra que o Isaac possa ver quando inventarem olhos robóticos.


Eu gostava do Augustus Waters. Gostava muito mesmo dele. Gostava de como a história dele terminava falando de outra pessoa. Gostava da voz dele. Gostava do fato de ele ter feito lances livres carregados de existencialismo. Gostava de ele ser professor titular no Departamento de Sorrisos Ligeiramente Tortos com duas cátedras no Departamento da Voz Que Me Deixa à Flor da Pele. E gostava de ele ter um apelido. Sempre gostei de pessoas com apelidos porque você pode escolher como chamá-las: Gus ou Augustus? Eu era sempre só Hazel, uma Hazel univalente.


Só queria terminar com essa frase super linda e verdadeira que não é citada no filme, mesmo. ♥


***


E aí? Quem tem mais diferenças pra conversar com a gente? Comenta aí. :D


[[camila]]

Comentários

Clique aqui se os comentários não aparecerem.