Resenha - O Estalo




Venha conhecer mais uma das muitas obras de Luís Dill.


https://3.bp.blogspot.com/-pnbgw6ElcSo/WC9YBfikVsI/AAAAAAAACQc/rxW5rKEJy88St9V3t8dK-11SdudBR-BpACLcB/s1600/O_ESTALO_capa-1_2541-400x595.jpg
O estalo

Luís Dill




Positivo
104
Física




Sinopse

Uma chuva forte, um barulho alto, um estalo. Não há tempo para pensar em nada. Rui e Júlia não conseguem se mexer direito. Sozinhos e com uma noite inteira pela frente, os dois jovens não têm muito o que fazer. Enquanto esperam, conversam e se conhecem melhor. Construída exclusivamente na forma de diálogo, esta narrativa prende a atenção do jovem leitor, que se identifica com a envolvente história que se desenrola diante de seus olhos.


Resumo

O que era pra ser um encontro entre Rui e Júlia acabou se transformando numa simples noite de papo se conhecendo melhor. Isso não teria sido tão decepcionante se eles não estivessem presos nos entulhos do Tritão, um prédio provavelmente recém e mal construído.

O tempo, que parecia estar tão congelado quanto os números no relógio de Rui, é preenchido com conversas sobre coisas totalmente aleatórias só pra ter a impressão de que as horas estão passando um tantinho mais depressa.

Ele tem nome de gente velha, parece saber de tudo um pouco, é péssimo em contar piadas e, apesar de não ter 100% de certeza se quer cursar ciência da computação, justifica toda sua intelectualidade ao fato de  ler bastante. Ela, como o próprio nome sugere, é cheia de juventude. Trabalha numa lojinha de roupas, vem de uma família humilde e ama o fato de se achar parecida com a Fergie, do Black Eyed Peas.

Aos poucos, ambos começam a perceber o óbvio e a duvidar se realmente conseguirão ter um futuro juntos depois daquilo tudo ou se, ao menos, sairão vivos de lá.





Opinião

O grande diferencial desse livro é que ele é inteiramente feito de diálogos. Não tem narrador, e tudo que vamos descobrindo ao decorrer do livro se deve às conversas dos personagens. O cenário, a aparência deles, como foram parar lá. Tudo.

O livro também conta com as ilustrações bem elaboradas do Rogério Coelho em praticamente todas as páginas e, como o autor é gaúcho, a linguagem é meio que com o sotaque do Rio Grande do Sul (o que é bem legal).


- Gosto quando tu sorri.
- Como sabe que eu tô sorrindo? Aqui tá escuro pra caramba.
- Pela tua voz. Consigo enxergar o sorriso pelo som da tua voz.


Em geral o livro é leve e rápido de ler, assim como todos os livros da Editora Positivo que eu já li.


***


[[camila]]

Comentários

Clique aqui se os comentários não aparecerem.