Resenha - Eleanor & Park



Venha se apaixonar por esse livro maravilhoso que é um verdadeiro conto de fatos.


https://thatcovergirl.files.wordpress.com/2012/07/rowell_ep_us.jpg
Eleanor & Park

Rainbow Rowell




Novo Século
328
Fisica


Sinopse

Eleanor & Park é engraçado, triste, sarcástico, sincero e, acima de tudo, geek. Os personagens que dão título ao livro são dois jovens vizinhos de dezesseis anos. Park, descendente de coreanos e apaixonado por música e quadrinhos, não chega exatamente a ser popular, mas consegue não ser incomodado pelos colegas de escola. Eleanor, ruiva, sempre vestida com roupas estranhas e "grande" (ela pensa em si própria como gorda), é a filha mais velha de uma problemática família.

Os dois se encontram no ônibus escolar todos os dias. Apesar de uma certa relutância no início, começam a conversar, enquanto dividem os quadrinhos de X-Men e Watchmen. E nem a tiração de sarro dos amigos e a desaprovação da família impede que Eleanor e Park se apaixonem, ao som de The Cure e Smiths. Esta é uma história sobre o primeiro amor, sobre como ele é invariavelmente intenso e quase sempre fadado a quebrar corações. Um amor que faz você se sentir desesperado e esperançoso ao mesmo tempo.


Resumo

Não foi amor à primeira vista. Definitivamente. Desde o primeiro segundo em que Eleanor colocou os pés naquele ônibus, Park sentiu que tudo o que iria querer dela pelo resto da vida seria distância. Os dois queriam ser invisíveis, mas isso era meio que impossível pra Eleanor. Não só por causa do seu tipo físico avantajado e dos seus volumosos cachos vermelhos. Mas também pelas roupas incomuns, e um tanto masculinas, que usava. Todo mundo que a viu em pé sabia que a ordem clara do motorista do ônibus era que todos deveriam estar sentados. Muitos dos alunos ocupavam dois lugares, nem que um fosse apenas pra colocar a mochila e ninguém queria perder isso, muito menos pra novata. Mas, com o mínimo de dó, Park ofereceu o lugar ao seu lado à ela. Não de um jeito delicado ou romântico, e mais como se o seu senso de boa educação falasse mais alto.

Passaram semanas sem se falar. Mesmo sentando lado a lado no ônibus todos os dias. Mesmo tendo as mesmas aulas nas turmas avançadas. Mas aquele menino mestiço era o tipo de pessoa que está sempre ouvindo música nos fones de ouvido e lendo alguma coisa. Ouvindo alguma fita com músicas punk e lendo gibis geeks, no caso. E, sem nada pra fazer, Eleanor começa a ler os gibis dele disfarçadamente, já que ele os deixava apoiados sobre as pernas. E Park percebe. E dali em diante começa a demorar mais pra passar as páginas, sem saber ao certo por quê.

"Então", foi o que ele disse na primeira vez que falou com ela, "você curte Smiths?". Tinha visto alguns rabiscos com a letra de How Soon is Now? no livro dela, e ficou surpreso ao saber que ela sempre anotava músicas que nunca tinha ouvido mas tinha vontade de conhecer porque pareciam legais.


- Odeio conhecer gente nova - ela sussurrou.
— Por quê?
— Porque ninguém jamais gosta de mim.
– Eu gostei.
– Não, não gostou; tive que te conquistar.
– Agora eu gosto de você.


E assim começa a amizade deles. Universos completamente opostos - Park tem uma vida relativamente perfeita, com pais amorosos que tinham vivido uma história de amor incrível (dessas de filme de guerra) e um irmão mais novo e os avós que moravam perto. Eleanor mora com a mãe e o marido dela (ela odeia a hipótese de ter que chamá-lo de padrasto, porque o cara é um monstro) e os quatro irmãos mais novos e o pai que só a vê quando precisa que ela faça algo por ele.

Ela vê naquele mestiço da pele cor de mel um refúgio de todos os problemas que tem, e que já teve, que enfrentar diariamente. O sarcasmo daquela menina pra lá de esquisita o encanta de maneira inexplicável.

Desde o primeiro dia em que se viram, Eleanor sempre o via em locais inesperados. Era como se suas vidas fossem linhas que se entrecruzavam, como se gravitassem em torno um do outro. Geralmente, esse serendipismo lhe parecia a maior dádiva do universo.


Mas nada é perfeito, e ambos querem estar dispostos a enfrentar tudo e todos pra continuarem juntos. Mesmo que tivessem que enfrentar a ex-namorada maquiavélica de Park. Mesmo que tivessem que enfrentar o idiota do marido da mãe de Eleanor.


Opinião

Acho que vocês já sacaram que essa história tá longe de ser um mar de rosas. É mais um romance de gente normal, com problemas e defeitos. Até mesmo o Park e a família dele têm defeitos. O livro é bem anos 80, mas dá pra imaginar eles passando por isso nos dias de hoje.

– Quem você pensa que é?
– Sou sua namorada. Pode perguntar por aí.
– Não... Minha namorada é uma menina triste que me faz passar a noite toda preocupado.
– Saco. Acho que tá na hora de arranjar outra namorada.


A melhor parte de ser em narrador-observador (aka 3ª pessoa) é saber os pensamentos e as memórias dos dois, já que ele intercala as partes que focam nele com as que focam nela. O livro tem muitas páginas, mas a história te prende tanto que você não consegue largá-lo!


Recomendo que se você pretende ler esse livro ouça I'm Yours ou Stars, da Alessia Cara, pra entrar no clima 💖

Ah, e essas fotos que aparecem no post são meu livro gringo. Quem lembra daquele post que eu fiz falando sobre edições de luxo de capa dura? Pois bem, graciosamente ganhei esse de uma amiga (daquelas que o fim do Ensino Médio não conseguiu separar), que comprou pra mim na Black Friday.

Pensando em vocês, gravei um vídeozinho pra mostrar como ele é pra vocês. A edição é bem simples (acho que por isso gostei tanto), então não esperem nada de muito espetacular.




***

Quem aí ficou com vontade de ler, ou já leu e se apaixonou?

[[camila]]

Comentários

Clique aqui se os comentários não aparecerem.