Entrevistando Autores - Márcio Muniz



Hoje trouxemos mais uma entrevista da série de entrevistas que estamos fazendo com autores nacionais. O autor da entrevista de hoje é o Márcio Muniz.

Olá, leitores do Livrofilia! Leia a entrevista, conheça o autor e seu livro e, aproveite. :)

Veja outras entrevistas do Livrofilia:
Rafael Martins
Ivan V. Levy
B. Demetrius
Tiago Júlio Martins
Fábio Feminella


[[ad]]

Márcio Muniz

Carioca, 40 anos, autor e poeta. Publicou 3 livros físicos (1 de poesia, 1 de contos e 1 romance); e também 4 livros de poesias na Amazon. Participou de 18 antologias e organizou outras duas antologias. Membro da Academia virtual de artes e letras Embaixada da poesia e também da Academia Luminescência Brasileira no qual ocupa a cadeira de nº 133. Vencedor do concurso de poesias do "Circuito Itinerante de poesias dos bairros cariocas" em 2015. Em 2015 teve uma poesia exposta no museu da língua portuguesa na exposição "Poesia agora". Co-organizador do Sarau Poesia & arte (RJ)



Entrevista

Livrofilia: Quando e onde surgiu a vontade de escrever?
Márcio: Nunca tive a pretensão de ser escritor, mesmo quando criança. Escrever para mim é desde a adolescência uma forma de me pôr para fora, de poder retratar o que sinto e as coisas da forma como eu as vejo. Primeiro foram poemas, pensamentos e crônicas. Depois vieram contos e alguns romances. Escrever para mim é algo bem natural, uma ncessidade e um grande prazer. Tanto que escrevo desde os 12 anos de idade e tenho tudo guardado, mas só fui publicado aos 36 anos.

Livrofilia: Qual foi o seu primeiro livro escrito? De onde surgiu a ideia de escrevê-lo?
Márcio: O primeiro romance que escrevi e ainda não foi publicado, surgiu como uma forma de me desafiar. Queria saber se conseguiria escrever um pequeno romance, comprei um caderno de 150 páginas e comecei a produzir uma história. Eu tinha 17 anos e vivia uma fase de incertezas, pois estava prestes a concluir o segundo grau no colégio e não sabia que rumos minha vida tomaria, todas aquelas amizades de colégio e decidi escrever uma história de uma galera que estuda junto na faculdade e se encontra dez anos depois de formados. Já a ideia do meu primeiro romance publicado veio de uma cena que vi dentro de uma condução, um carro de luxo e um menino negro e pobre que fazia malabarismo diante do carro parado no semáforo tentando angariar uns trocados. Fiquei ruminando aquela cena, todo aquele contraste, tão próximos fisicamente e tão distantes na realidade da vida. No livro imaginei como aquelas realidades poderiam de algum modo se cruzar.

Livrofilia: Como você se sentiu quando terminou de escrever seu primeiro livro?
Márcio: É sempre uma felicidade ver aquilo que você imaginou indo para o papel, de certa forma virando “realidade”. Saber que somos capazes. Quando recebi o sinal possitivo da editora foi outra grande alegria, era mais uma etapa de algo que era apenas uma quimera se tornando tangível. Realizado, esta é a palavra que define esta sensação.

Livrofilia: Você viveu situações parecidas com suas histórias? Poderia citar alguma?
Márcio: Não que me lembre, ao menos diretamente comigo. Normalmente observo uma cena e daí veem os delírios, fico fantasiando diálogos, desfechos daquela observação. Faço suposições, imagino meu alter ego e como eu viveria aquilo tudo. A gente sempre deixa uma pedaço de nós em tudo que escrevemos, mesmo que aquilo não seja auto-biográfico. Só para citar um exemplo, outro dia vi um casal se cruzando em uma calçada, ao passarem um pelo outro, os dois olharam para trás uma fração de segundo diferente do outro. Na verdade, nem um, nem o outro percebeu e ambos seguiram anonimamente seus caminhos. Fiquei depois imaginando se acaso eles tivessem olhado juntos, o que poderia ter sido diferente. De repente eram a pessoa que o outro procurava, poderiam namorar, casar, ter filhos, mas aquela fração de segundo podia ter mudado o caminho de suas vidas.

Livrofilia: Possui alguém que te influencie no momento de criar um desfecho para sua história?
Márcio: Na maior parte do tempo começo a escrever uma história e não faço a mínima ideia de como ela vai terminar. É como se a história fosse se construindo sozinha, quase aquela sensação como se eu estivesse psicografando uma carta, eu sento para escrever e as palavras vem atropelando e de repente vem a inspiração para o desfecho da história.


Livrofilia: Você tem muitos projetos em mente? Poderia nos contar algum?
Márcio: Acho que todo mundo que escreve, até por conta da imaginação, tem um monte de projetos em mente. Eu escrevo de tudo um pouco, gêneros e formas textuais, por isso tenho a ambição de fazer uma grande mistura em um único livro. Mesclar poesia, contos, crônicas e microcontos. Textos românticos, terror, humor, drama, etc. Uma espécie de auto-biografia mas em forma de textos, algo que fosse eu mesmo, que me retratasse como escritor. Também gosto muito de atuar como fomentador de cultura e literatura e por conta disto, organizo um sarau em que mesclamos não só poesia, mas também música, teatro, dança, etc em um único evento. Assim plantamos uma semente e damos oportunidade para os artistas mostrarem seus trabalhos. Acredito que seja também função de quem lida com a cultura, disseminar esta ideia e fazer as pessoas enxergarem-na como imprescindível em suas vidas. Não podemos reclamar que não temos público se não ajudamos a formar este público.

Livrofilia: Existe algum trecho do seu livro que você gosta muito? Qual seria ele? E por quê?
Márcio: A cena do quase atropelamento do personagem principal. Afinal, é esta a cena em que Breno e Sabrina se veem pela primeira vez. É esta a cena que vi e adaptei para dar origem a todo o livro. Não dá para fugir deste destino.

Livrofilia:Quando você começa a escrever um novo texto ou livro, você já sabe exatamente como a história vai terminar?
Márcio: Acho que já respondi esta pergunta mais acima. Vou cair no clichê para reafirmar: Conforme vamos escrevendo os personagens ganham vida e vão aos poucos “escolhendo” seu próprio destino.

Livrofilia: Você costuma fazer algum "ritual" antes de começar a escrever? Existe uma fonte de inspiração antes de começar?
Márcio: Não. Na verdade não sou muito organizado, sei que preciso ser e tento, na medida do possível. Mas como eu disse, as histórias meio que surgem do nada. O bloco de notas do meu celular é cheio de passagens, dialogos e trechos das histórias para que eu possa depois dar sentido e liga para aquilo tudo.

Livrofilia: Gostaria de deixar um recado para os leitores? Se sim, qual?
Márcio:Somente agradecer atenção e o interesse em poder conhecer um pouco mais de mim e meu trabalho. Só gostaria de pedir para que deem uma chance a literatura e aos escritores nacionais, que se entreguem de corpo e alma às suas histórias pois tem muita gente boa neste cenário.


Seu livro

https://3.bp.blogspot.com/-f4uf3IY3Xtk/WL9LnGJyqWI/AAAAAAAABEY/V5lvCC0yteIsaOrk9Bv0kIHYmBSaIuBWwCLcB/s1600/db96790capa%2Bmarcio.png
Amor, Somente Amor

Márcio Muniz




Drago Editorial
130
Física

Sinopse: Que chances um garoto pobre, negro, morador de uma comunidade do Rio de Janeiro, teria com uma bela menina rica, branca, frequentadora da alta-sociedade carioca?

Teoricamente, nenhuma!

Pior... para Breno, não bastará apenas conquistá-la, terá que lutar contra o preconceito imposto por todos... principalmente, pelo próprio pai dela! Seu Levi é um homem autoritário, extremamente preconceituoso e arrogante, jamais permitirá que sua filha venha a namorar um “favelado”.

Mas Breno encontrará em Lucas – um playboyzinho que mora no mesmo condomínio de Sabrina e que frequenta a mesma comunidade de Breno em busca de saciar seu vício –, um forte aliado. Será com sua ajuda e companheirismo que ele tentará romper com todas as barreiras impostas por nossa sociedade e conquistar o coração de Sabrina.


Você pode encontrar o livro Amor, Somente Amor do autor Márcio Muniz, para venda no site da Livraria Drago Editoria e também no site da loja Amazon, tanto o livro físico quanto e-book. E se você quiser conhecer mais sobre o autor ou conhecer seus outros livros, basta segui-lo em suas rede em suas redes sociais.


Siga o autor nas redes sociais:
Blog do autor | Página do Facebook | Wattpad | Instagram

Agradecemos ao autor Márcio Muniz que aceitou participar da entrevista e nos concedeu a autorização da publicação de sua obra em nosso post, foi uma grande honra conhecer um pouco mais sobre você e sobre seu livro. Eu (Emily) amei a capa e a sinopse do seu livro, e gostaria de saber como o Breno vai fazer para ficar com a Sabrina. Mais uma vez muito obrigada. :)

***

Ressaltamos que as entrevistas irão ser postadas de acordo com a ordem dos envios que recebemos.

Fiquem de olho no Livrofilia, pois estamos organizando outras entrevistas para apresentar a vocês muitos outros autores.

Gostou da entrevista, caro leitor? Deixe seu comentário com sua opinião. ♥

[[emi]]

Comentários

Clique aqui se os comentários não aparecerem.