Entrevistando Autores - Tiago Júlio Martins



A entrevista de hoje ficou por conta do autor paraense Tiago Júlio Martins. Leia a entrevista e conheça o escritor de "TARDIS".

Olá, leitores do Livrofilia! Seguindo com a série de entrevistas, hoje trazemos a vocês um autor que, assim como o Livrofilia, é daqui do Pará. Continue lendo e conheça mais um autor brasileiro e seu livro "TARDIS".

Veja também as outras entrevistas:
Rafael Martins
Ivan V. Levy
B. Demetrius
Márcio Muniz

[[ad]]

Tiago Júlio Martins

Bipolar, escritor, aprendiz de poeta, jornalista e roteirista, não necessariamente nesta ordem, Tiago Júlio de Farias Martins tem 26 anos. Nasceu e mora em Belém do Pará. É formado em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Universidade da Amazônia (Unama) e pós-graduado em Produção Audiovisual pela Estácio Iesam. Atuou durante três anos como repórter do jornal impresso "Diário do Pará". Desde 2008, mantém, despretensiosamente, o blog literário Vago. Em outubro de 2016, publicou seu primeiro livro, o romance autobiográfico "TARDIS".




Entrevista

Livrofilia: Quando e onde surgiu a vontade de escrever?
Tiago: Eu comecei a escrever antes de aprender a escrever. Acredito que é possível atingir outras esferas de abstração que não se resumem ao ato de colocar palavras em páginas em branco. Contar histórias, a linguagem oral, por exemplo, é algo precede o ato de escrever, mas não deixa de ser uma produção textual, a meu ver. Sempre tive vontade de escrever e contar histórias, mas as coisas se intensificaram no final de 2007, quando tentei produzir um romance que, felizmente, não foi pra frente. Eu me sentia muito sozinho e isolado no Ensino Médio e a escrita surgiu como uma possibilidade de transpor isso.

Livrofilia: Como você se sentiu quando terminou de escrever seu primeiro livro?
Tiago: Senti uma satisfação muito grande e um alívio enorme também. De certa forma, eu me preparei a vida toda pra escrever esse livro, que comecei aos 23 e terminei com 24 anos. É a minha realização pessoal mais significativa, meu pequeno legado. É mórbido, mas, se alguma coisa acontecer comigo e eu, de repente, morrer cedo, parto com a certeza de que deixei uma obra relevante capaz de ajudar muitas pessoas. Depois que terminei "TARDIS", começou a novela de caçar uma editora para publicá-lo. Gastei cerca de um ano nisso e confesso que em vários momentos pensei em desistir.

Livrofilia: Existe uma história ou motivo para você ter escolhido esse nome para o seu livro?
Tiago: TARDIS é a abreviação de, em português, "Tempo E Dimensão Relativas no Espaço". É a máquina do tempo e nave espacial do seriado de ficção científica britânico Doctor Who. De certa forma, é uma metáfora que casa com a história, pois proponho uma viagem pelo tempo da minha história e, em alguns momentos, tento levar a leitura para além do plano objetivo, principalmente nos capítulos em que há a representação textual dos surtos psicóticos. Há outras analogias interessantes que fazem mais sentido dentro do livro e da história, mas, basicamente, é isso.

Livrofilia: Você escreve pensando na reação que o leitor pode ter com determinado acontecimento?
Tiago: Não exatamente. Minha escrita acontece geralmente em fluxo contínuo, é algo praticamente automático. Vou pensando e vou escrevendo enquanto penso. Procuro não me censurar de modo algum e respeito o ritmo do texto. No caso específico de "TARDIS", minha preocupação maior era como algumas pessoas se sentiriam sendo expostas e recriadas na narrativa. De qualquer modo, troquei o nome de todos os personagens pra tentar, minimante, preservar a identidade de quem tá envolvido com a história. De resto, não parei pra pensar na reação dos outros, me expus sem medo porque achei que era necessário.

Livrofilia: Qual foi ou qual está sendo a maior dificuldade enfrentada por você como autor?
Tiago: Sem dúvida, encontrar uma editora que possibilite ser uma casa pras minha histórias. É muito difícil uma editora de médio ou grande porte dar o suporte necessário pra o autor desenvolver sua carreira. As editoras pequenas, geralmente, pedem que o autor entre com parte dos recursos pra publicação e, na maioria das vezes, não é um investimento baixo. Eu entendo que o mercado editorial é complicado e concorrido e que quem tem menos recursos precise se preservar financeiramente e trabalhar com risco compartilhado, mas, para quem não tem quase nada para investir, é difícil, de qualquer forma.

Livrofilia: Quando surgiu a vontade de ser escritor, você teve um grande incentivador?
Tiago: Eu me tornei escritor naturalmente. Gostava muito de escrever, então, o caminho natural foi produzir um livro. Não foi nada premeditado. Foi um processo espontâneo que nasceu antes mesmo de eu colocar as coisas no papel, quando ainda era criança e brincava de contar histórias. Não tive um grande incentivador, mas minha família sempre me apoiou muito nos meus caminhos. Minha mãe, aliás, é a grande responsável pela publicação de "TARDIS", já que ela bancou boa parte do processo, da impressão à festa de lançamento. Devo muito a ela.

Livrofilia: Como você se sente quanto à aceitação de seu livro?
Tiago: Eu fiquei realmente surpreso com a recepção positiva do livro. Os custos eram altos, então, conseguimos rodar apenas 90 exemplares. É um número baixíssimo pra uma tiragem profissional, mas significativo se levarmos em consideração que o livro foi esgotado em menos de uma semana. Até hoje há pessoas atrás de exemplares e eu, meio sem graça, preciso explicar que estou tentando rodar uma segunda edição, com uma tiragem maior. Foi um erro de principiante não ter investido de início numa quantidade maior de livros, mas eu estava muito inseguro e com medo de ficar com exemplares encalhados. Hoje eu compreendo que o boca-a-boca é uma ótima propaganda e que há demanda real pelo "TARDIS". Os feedbacks foram ótimos e algumas pessoas escreveram coisas muito queridas da sua experiência de leitura.

Livrofilia: Como você veria uma crítica relacionada ao seu livro?
Tiago: Acho que encararia naturalmente. Ainda não tive essa experiência porque as pessoas que não gostaram do livro ainda não se manifestaram, haha. Pra mim, acima das críticas, tá o valor literário e terapêutico que o livro possui e que um número razoável de pessoas reconheceu e veio até a mim salientar. Críticas são relevantes, válidas, necessárias, e se forem feitas de forma educada, sem agressões ou tentativas de levar pra o lado pessoal, não vejo problemas nenhum em recebê-las.

Livrofilia: Seu livro tem uma trilha sonora? Qual música você ouvia enquanto escrevia?
Tiago: Pra falar a verdade, não lembro de ter usado trilha sonora pra escrever, mas "TARDIS" tem referência de diversos músicas ou bandas, como Legião Urbana, Erik Satie e Yoñlu. No livro, tem uma música original, chamada "River Song", que pretendo pedir a algum amigo músico gravar pra ajudar na divulgação da segunda edição do livro.

Livrofilia: Gostaria de deixar um recado para os leitores? Se sim, qual?
Tiago: Queria pedir, por favor, que, quem se interessou pela minha história e gostaria de ter uma segunda edição do livro, me adicione no Facebook. Talvez eu continue independente e parta pra o esquema de financiamento coletivo pra rodar uma segunda tiragem do livro, já que a primeira esgotou. Mas, dessa vez, com uma edição de cara nova e mais bonita que a primeira. É importantíssimo reforçar minha rede de possíveis colaboradores antes de partir pra o crowdfunding porque o risco é alto, então, se não for pedir muito, me adicionem lá. Sou legal, eu juro. Muito obrigado por me lerem e pela força de sempre.


Seu livro

https://1.bp.blogspot.com/--jD_bN_nq30/WL9jVgCoPrI/AAAAAAAABE0/tyLnCfTeJCAACOi94DPRGAuOdhTkf9SbQCLcB/s1600/88c4563designerdacapa-DelianneLima.jpg
TARDIS

Tiago Júlio Martins




Versos Seremos
322
Física

Sinopse: Em novembro de 2014, Tiago decidiu produzir para um concurso literário um romance autobiográfico. Ele é portador do Transtorno Afetivo Bipolar e se propôs a narrar sua história da infância à idade adulta. Para cumprir o prazo das inscrições, o livro teria que ficar pronto em apenas 27 dias. O objetivo era traçar um panorama psicológico que percorresse os caminhos que levaram o autor a experimentar um grave surto psicótico, no final de 2013. A auto-exploração deveria revisitar episódios engraçados, experiências marcantes, desilusões, traumas e paixões abordando temas universais a partir do ponto de vista de um bipolar. O processo criativo acelerado, porém, escondia um grande risco. TARDIS levou o autor a um novo surto psicótico. A história foi reescrita por ela mesma durante sua criação e só foi concluída meses mais tarde. Proveniente de um fluxo irreprimível, no livro, a loucura foi intensamente lembrada e registrada. Boa parte da narrativa é ambientada na internet e oferece um panorama das relações afetivas na era digital. A trama é repleta de referências à cultura pop, cinema, videogames, música e literatura. A TARDIS original é a máquina do tempo e nave espacial do seriado de ficção científica Doctor Who e condiz com a proposta do livro: proporcionar aos leitores uma experiência intensa, uma viagem profunda cujo percurso pode instigar transformações internas únicas.


A primeira edição do livro TARDIS do autor Tiago Júlio Martins, já está esgotada, mas o autor já iniciou um novo financiamento coletivo para a viabilização da segunda edição do livro. Então, se você ficou interessado em adquirir o livro ou ajudar o autor de alguma maneira, entre em contato com o mesmo através de suas redes sociais, além de as redes sociais ser uma maneira de você ficar mais próximo do autor. Ou vá direto ao Catarse e apoie o projeto, e já adquira o seu exemplar de TARDIS.


Siga o autor:
Blog Vago | Facebook | Artigos na Obvious | YouTube | TARDIS no Catarse


Book Trailer

Confira o Book Trailer do livro TARDIS que está disponível no Canal do Tiago Júlio.



Agradecemos ao autor Tiago Júlio por ter aceitado participar da entrevista e nos autorizou a publicação de sua obra em nosso post, foi uma grande honra conhecer um pouco mais sobre você. Obrigada. :) Ah, queremos também dizer que nós do Livrofilia ficamos muitíssimos felizes quando soubemos que você é paraense, toda a equipe Livrofilia também é paraense. Uma coincidência e tanto, hein? Gostaríamos, também, de dizer que estamos aqui para ajudá-lo, no possível, quanto à segunda edição do seu livro. :D

***

Ressaltamos que as entrevistas irão ser postadas de acordo com a ordem dos envios que recebemos.

Fiquem de olho no Livrofilia, pois estamos organizando outras entrevistas para apresentar a vocês muitos outros autores.

E você, querido(a) livrófilo(a), gostou de conhecer o Tiago e seu livro? Comente o que achou dessa entrevista aí em baixo. Até o próximo post! ♥

[[emi]]

Comentários

Clique aqui se os comentários não aparecerem.