3 lugares incríveis pra conhecer através de uns livros



Viajar nos livros já uma expressão bem conhecida, né? Mas e quando é o livro que te dá vontade de viajar?
Todo mundo, alguma vez na vida, já ficou com vontade de conhecer um outro país ou alguma outra cultura porque viu algo a respeito em algum livro. Um dia desses vi um vídeo numa página do facebook e pensei nisso. O vídeo era curto e exibia a Ilha dos Porcos. Lembrei que li sobre ela em O Garoto dos Meus Sonhos, da Lucy Keating. Nesse livro, o Max explica brevemente ao Petermann o porque de Alice desejar ir pra lá pelo menos em algum sonho.

A Ilha dos Porcos é uma ilha nas Bahamas, repleta de água do mar azul cristalina e palmeiras, mas habitada inteiramente por gigantescos, felpudos, amigáveis… porcos. É o lugar favorito de Alice no mundo inteiro, mas ela nunca esteve lá. Ela fala dele o tempo todo.
Fiquei pensando em vários outros lugares que vi em livros, procurando fugir dos óbvios, e resolvi listar aqui.

Giverny, em "De Volta aos Sonhos"


https://2.bp.blogspot.com/-e0k4lqw-Oxw/WFsvDgxwnqI/AAAAAAAABxY/1n3MA6Y-6n0e8ViIaG9FeqK1YOOUSj69gCLcB/s1600/dvas.jpg
De Volta Aos Sonhos

Bruna Vieira




Gutenberg
224
Física

Sinopse: Em De Volta aos Sonhos, segundo volume da trilogia Meu Primeiro Blog, Anita viaja no tempo acidentalmente e acaba mudando seu destino mais uma vez. As consequências são inevitáveis e fazem com que ela repense suas prioridades. Vale a pena trocar tudo por um amor? Ela terá que descobrir a resposta enquanto decide o que cursar na faculdade e arruma as malas para trabalhar em um outro país, no meio do turbilhão de sentimentos por Joel, cada vez mais presente em sua vida, e Henrique, agora uma estrela em ascensão no mundo da música. Além de buscar o controle sobre seu próprio destino, Anita deverá lidar com escolhas erradas e problemas certos, na tentativa de desvendar de uma vez por todas o mistério das viagens no tempo.

Fugindo do roteiro tradicional dos pontos turísticos parisienses, Henrique leva Anita à um lugar onde ele vai bastante pra se inspirar: Giverny, um pequeno povoado tranquilo e com uma paisagem maravilhosa até mesmo no inverno. Lá ela conhece o jardim de Monet, famoso por ter sido retratado diversas vezes em suas pinturas (e que ele próprio cultivou).


Imagens: Bruna Vieira/Depois dos Quinze

Surpreendente, mesmo sendo inverno, algumas flores ainda resistiam ao frio, e eu fiquei imaginando que aquilo era um presente pra mim, só pra eu ter um a ideia de como tudo ficava quando florido. A luz do sol atravessava as folhas e iluminava cada pedacinho de terra, ainda havia um pouco de neve derretida, e era como se o inverno estivesse dando uma trégua para que eu pudesse viver o encontro perfeito.

Apesar de ser em um momento muito breve da história, o jeito como o lugar é escrito dá pra fazer a gente imaginar. Além do mais, a autora já viajou pra lá e fez um post com fotos lindas do lugar no seu blog.




Edimburgo, em A Geografia de Nós Dois


https://1.bp.blogspot.com/-p2A-Qkwqx5k/WFv6nWT3SZI/AAAAAAAABxs/jKyfJT9Ib3UCLKS43SNpjWd-F2yASjKDwCLcB/s1600/a-geografia-de-nos-dois.png
A Geografia de Nós Dois
The Geography of You and Me
Jennifer E. Smith




Galera Record
272
Física

http://www.livrofilia.com/2016/11/resenha-geografia-de-nos-dois.html
Sinopse: Lucy mora no vigésimo quarto andar. Owen, no subsolo... E é a meio caminho que ambos se encontram — presos em um elevador, entre dois pisos de um prédio de luxo em Nova York. A cidade está às escuras graças a um blecaute. E entre sorvetes derretidos, caos no trânsito, estrelas e confissões, eles descobrem muitas coisas em comum. Mas logo a geografia os separa. E somos convidados a refletir... Onde mora o amor? E pode esse sentimento resistir à distância? Em “A Geografia de Nós Dois”, Jennifer E. Smith cria tramas cheias de experiências, filosofia e verdade

Com pouquíssima vontade de ter que abandonar sua vida muito novaiorquina na cidade que nunca dorme e morar em Edimburgo, Lucy jamais havia sequer imaginado conhecer alguém como Liam, um garoto bonito demais para parecer ser acessível que a ajuda a encontrar sua sala de aula no primeiro dia que ela vai ao colégio. Em pouco tempo, o fato de ele estar à espera dela em cada canto pra ajudá-la a se encontrar acaba virando um hábito. Logo na primeira semana, ele a convida pra subir o Arthur's Seat, umas colinas famosas por lá que têm uma vista incrível de cima, depois da aula.


Imagens: Expedia

Jamais sentiu-se tanto uma garota de cidade grande e teve a certeza súbita de que aquele não era seu lugar. Tinha sido feita para terraços, não montanhas. Mas foi então que se virou, e lá estava ela, a cidade de Edimburgo: abrindo-se diante dela em tons de roxo e dourado, toda feita de pináculos e torres e luzes brilhantes.

Segundo a mãe de Lucy, a cidade inteira tem "cheiro de ensopado". Mas Lucy explica isso com o fato de a proximidade do mar exalar um aroma salgado quando os ventos mudam de direção. Edimburgo é descrita no livro como um lugar profundamente romântico, como se tivesse caído direto de um conto de fadas. Acho que já deu pra sacar isso no fato de Liam ter a convidado pra subir essas colinas e ver sol se pôr, né?




Kaanapali Beach, em Tudo e Todas as Coisas


https://2.bp.blogspot.com/-CcNWoti3xvw/Vwec6e-x9cI/AAAAAAAADuQ/6GAjdzGIJV8WOAIdV2qSOM6z316f_eHQQ/s1600/tudo-e-todas-as-coisas_1.jpg.1000x1353_q85_crop.jpg
Tudo e Todas as Coisas
Everything, Everything
Nicola Yoon




Novo Conceito
304
Física

Sinopse: Minha doença é tão rara quanto famosa. Basicamente, sou alérgica ao mundo. Qualquer coisa pode desencadear uma série de alergias. Não saio de casa nunca sai em toda minha vida. As únicas pessoas com quem convivo são minha mãe e minha enfermeira, Carla. Eu estava acostuma com minha vida até o dia que ele chegou. Pela janela olho para o caminhão de mudança, e então o vejo. Ele é alto, magro e está vestindo preto da cabeça aos pés. Seus olhos são de um azul como o oceano. Ele me pega observando-o e me encara. Encaro-o também. Descubro depois que seu nome é Olly.

Antes de conhecer Olly, Madeline jamais imaginou que estar apaixonada poderia tomar tanto tempo de uma pessoa. Com os constantes e-mails trocados entre os dois, a relação dela com a mãe fica um tanto abalada. Tentando recuperar o contato com a filha lhe mostrando uma foto antiga no lugar favorito do pai, de uma época pré-doença que Maddy nem imaginava existir, é capaz de incendiar ainda mais o desejo da garota pra visitar o mundo lá fora.

Imagens: Pintrest/Kaanapali Beach Hotel/Grand V

o.ce.a.no s.m. pl. -s 1. A parte infinita de si mesmo que nunca conheceu, mas sempre suspeitou de que estava ali. [2015, Whittier]

Com isso em mente e uma vontade incurável de arriscar tudo em troca de um dia perfeito, mais do que nunca, Maddy quer sair de casa e mergulhar no que é desconhecido só por ela.

***

E você aí, já sentiu vontade de viajar pra algum lugar que conheceu em um livro? 
Conta pra gente!
[[camila]]

Comentários

Clique aqui se os comentários não aparecerem.